11
Fev 10
Por

João Pinho de Almeida

, às 15:20 |

Há pouco vivi, por minutos, uma experiência inesperada.

 

Estava a almoçar com colegas quando recebi uma chamada insólita. Ligaram-me da redacção de um jornal, até aí tudo bem. Acontece que a notícia que me davam era de o jornal ter a polícia à porta, e de terem aconselhado os seus funcionários a não sair. Podiam não ser autorizados a reentrar.

 

Desligada a chamada, logo fiz outra para uma pessoa que estava a manifestar-se pela liberdade, em frente ao Parlamento. Perguntei se já sabiam o que se passava no jornal. Sabiam. Inesperadamente a manisfestação ganhava mais razão de ser.

 

Estes factos podiam ter acontecido noutro tempo ou noutro lugar. Mas, não. Aconteceram na República Bolivariana de Portugal, aos onze dias do mês de Fevereiro do ano de dois mil e dez.

 

 


Hoje vou comprar o jornal Sol. Como o " Lápis Azul " não resultou, venham prender-me!
pedrocb20 a 12 de Fevereiro de 2010 às 01:11

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




Na última fila da bancada do CDS-PP sentaram-se no primeiro dia, por acaso ou providência, os quatro deputados mais novos da bancada. Juntam-se virtualmente neste espaço para continuar as discussões após o fim dos trabalhos. Junte-se, leia e debata as opiniões dos deputados… Da última fila.
Autores
Cecília Meireles Graça
Filipe Lobo d´Ávila
João Pinho de Almeida
Michael Seufert
Arquivos
Pesquisar
 
Subscrever feeds